Olá, seja bem-vindo (a)!
Segunda-feira, 18 de Novembro de 2019
NOTÍCIAS
28-07-2014 | 18:14
Construção de contenção de morro custará R$ 1,9 milhão ao Estado
Obra é necessária para evitar desabamento de Morro do Dispraiado

A empresa PPO Pavimentação e Obras Ltda. será a responsável pela construção do muro de contenção no Morro do Despraiado – na Avenida Miguel Sutil –, que, desde novembro do ano passado, está sob risco de desabamento. A empresa foi a única interessada em participar do pregão presencial realizado pela Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa), na última sexta-feira (25). O custo da obra foi orçado em R$ 1,9 milhão e a empresa deverá concluir a obra em um prazo máximo de 120 dias – tempo de vigência do contrato –, mas a expectativa da Secopa é de que os trabalhos sejam concluídos em até 90 dias. Conforme o MidiaNews já havia divulgado, o morro deverá ser escalonado em forma de talude (plano inclinado que limita um aterro), com recobrimento vegetal para proteger o solo da erosão, ao invés do muro de arrimo de cinco metros antes previsto para o local. Ao todo, nove famílias foram removidas de suas casas, que ficam na Rua Xavante, no bairro Santa Helena, devido ao risco de novos deslizamentos de terra, como aconteceu no dia 12 de novembro do ano passado. Desde então, metade da pista marginal do viaduto – na direção de quem segue para a Rodoviária de Cuiabá – segue bloqueada e a faixa de rolamento restante, em época de chuva, acaba tomada pela lama que escorre do morro e que não é contida pelos tapumes instalados no local. A ausência do muro também impede que pedestres sigam pela margem da Perimetral, pois impede o acesso à calçada no local, fazendo com que as pessoas se arrisquem ao atravessarem de um ponto ao outro da Perimetral por entre os carros que descem do viaduto. Início do problema A obra de contenção estava prevista, originalmente, no contrato de R$ 18,9 milhões firmados entre o Governo do Estado e o Consórcio Atracon, responsável pela execução do Viaduto do Despraiado - obra do pacote da Copa do Mundo -, mas foi assumida pela Secopa. A polêmica do desabamento teve início quando a Secopa realizou um corte na encosta do morro para alargamento da pista da Perimetral, ação que integra o projeto de adequação da via para construção do Viaduto do Despraiado. Em novembro de 2013, a Defesa Civil ordenou às nove famílias que moravam em cima do morro para que se mudassem imediatamente do local, devido ao risco de desabamento, determinando ao Estado para que amparassem os atingidos com uma nova moradia. (Lislaine dos Anjos, Midia News)
Sindicato das Indústrias da Construção do Estado de Mato Grosso - Sinduscon-MT
Avenida Historiador Rubens de Mendonça, 4.193, Centro Político Administrativo
Centro Sindical do Sistema FIEMT - Cuiabá-MT - CEP: 78049-940 - Tel.: (65) 3627-3020
Anuncie - Política de Privacidade
2014 -Todos os Direitos Reservados
V3 Agência Web